Blog

Autoacupuntura da certo?

História pessoal. No final da década de 90 e inicio do ano 2000 a MTC começava a tomar corpo no Brasil. Poucos mas corajosos profissionais dilatavam o conhecimento para os interessados em estudar a Acupuntura. Essa precocidade foi acompanhada de muita carência de informação cientifica. Nessa época as raras pesquisas que existiam, apresentavam muitos erros metodológicos e o que nos restava (enquanto estudante) eram os livros de Acupuntura e acreditar nos esforçados professores que apareciam 1 vez por mês.

Expectativa. Cada aula ou atendimento era esperado como uma criança aguarda o Natal em dezembro; a possibilidade de poder encontrar e praticar mais uma vez essas informações, chancelavam a afinidade e empatia com a ideia – MTC. Porém a evasão das respostas fornecidas, estimulavam minha curiosidade para entender na prática a coerência de cada regra, imposta por autores ou professores.

Introspecção. A introspecção exagerada intoxica as ideias e as energias; esse conteúdo é repassadas ao Pulmão e ao Intestino grosso. Com o tempo a toxidade energética é distribuída a pele e seus anexos. O suprimento energético enviado a pele é sujo, impuro e deficiente de yang qi, todas essas características juntas, aumentam a sensibilidade imunológica da pele; que passa reagir com exagero qualquer contato mecânico oferecido (a pele).

Alergia. A dermatite de contato foi o resultado desse processo – introspecção – intoxicação – pele, que inconscientemente me submeti. Todo mês eu experimentava um novo fármaco ou formula milagrosa. Mas nenhum deles oferecia mais nada do que um alívio momentâneo; até que…

Ponto aberto. Num belo dia uma nova crise me abalava e sem mais recurso resolvi contrariar todos os meus professores e autores prediletos. Nesse dia havia acabado de aprender a calcular o ponto aberto da hora do nascimento e pensei que mal eu causaria se utilizasse esse ponto combinado com os Vasos Maravilhosos em mim mesmo?! Pior do que estava não ficaria!!!

Resultado. Utilizei os pontos com muito comedimento e por 30 minutos com as agulhas em meu corpo dormi profundamente. Quando acordei veio a decepção; minha alergia continuava lá. E já sem agulhas começava a acreditar que realmente a autoacupuntura não funcionava mesmo e pronto!

Surpresa. Porém no dia seguinte depois de uma grande noite de sono eu sentia que algo havia mudado; a impressão era que minha pele estava mais “grossa”; resolvi utilizar o protocolo mais uma vez e novamente dormi profundamente. Quando despertei da sessão as manchas alérgicas do dia anterior estavam mais claras e menores – logo pensei que era uma impressão visual. Passei o dia mais estranho ainda agora além da pele meu humor estava diferente, conversava com as pessoas com mais espontaneidade e tranquilidade.

Resultado 2. Passei esse dia sem ter crise porém a correria natural de um estudante envolvido com estágios, pacientes e trabalhos não permitiram pensar ou sequer lembrar disso. So ficava uma leve impressão que algo estava melhor, mas não  conseguia identificar racionalmente. Três dias inteiros se passaram até a próxima crise, foi nesse momento que lembrei da bendita alergia. Fui logo tratar e agora com mais força criei outro protocolo; mesclei os pontos utilizados anteriormente com outros para retirar o calor…

Bem estar. Depois desse dia eu nunca mais fui o mesmo! As crises alérgicas ficaram para trás junto com a introspecção doentia e exagerada; melhorei minha respiração e “agora”conseguia conversar com a maioria das pessoas!

Conclusões. Algumas conclusões foram tiradas dessa experiência pessoal. A primeira delas é que a Autoacupuntura funciona mesmo, principalmente quando bem feita; a segunda é que a Acupuntura funciona de forma individual, a cada caso ou paciente e a mais importante delas foi entender que se eu quiser ser “alguém” deveria impor a mim mesmo, quebrar os gesso de paradigmas, mantido por alguns, que já a muito tempo esta defasado.

a teoria da MTC foi escrita pela prática clínica! Por isso recomento a todos os estudantes e amantes da MTC enfrentar o arcadismo imposto pelo receio de alguns. Duvide de tudo que não seja explicado com coerência e racionalidade!

Combinação inteligente utilizada: PAHN E44, P7-R6, IG11, P10,C3.

 

Fabricio Borges de Faria

Fisioterapeuta, acupunturista e escritor

Combinação inteligente, protocolo eficiente.

Fabrício Borges de Faria

Fisioterapeuta, acupunturista e escritor.

Loja nova Dispensar